12.7.06

MANOEL DE BARROS

.
Poesia já tinham feito seus pais.
Do primeiro nome a língua, a terra fértil.
Nome de Portugal da origem do português.
"Descobriram" nossa terra-chão e trouxeram sua terra-língua.
Língua com terra.
Do sobrenome o material, a lama-prima.
A natureza a ser esculpida (pra longe do natural).
A lama que ele ama, o barro que ao jarro planta.
Ele jorra de sementes, esse homem.
Ele joga de semear mentes.
.
------------------------------------------------------
Homenagem a este inspirador poeta, que segue com indicação
para esta bela casa onde sua influência tem sido sentida
linda-mente.

15 comentários:

Rayanne disse...

É realmente um lindo passeio. :o)

Estrelas.

Clarice disse...

Cada um que se esbarra em Barros se lambuza como criança comendo sorvete. Ele floresta jardins em nossas mentes.
Supimpa homenagem,
alisou-me seda
brilhante mente.
sorrisosss

Múcio Góes disse...

E nesse Manoel
que me ex-barro,
vário nos dez-varios
que sôo...

[]´s

Márcia(clarinha) disse...

Tendo Manoel como companhia caminhamos nos esbarrando na poesia,na cor da alegria,no sabor da felicidade.
Na bela casa de minha manamada Cla,existe muito além de Manoel, existe flor de jasmim, existe verdade e existe amor sem fim.
Dia lindo querido,
beijosssssssssssss

Márcia(clarinha) disse...

Quando fizer algum show me avisa, gostaria de vê-lo tocar.
beijossssssss

da gaveta disse...

bela homenagem.

Katheryne disse...

e assoprando estes esporos no solo real ou da mente, eis que brota a raiz. adorei teu espaço chegando aqui através do ventania. Beijos kathy

Loba disse...

Segui o link lá da Clarice e caí entre flores e sementes de Manoel de Barros! Não poderia querer algo melhor!
Li muitos de seus poemas e gostei por demais!!! Foi um prazer descobri-lo!
Beijocas

Ellemos disse...

Rapaz, faz tempo que não comento, não é? Mas te digo que tenho saboreado sempre todas estas delícias em versos! E fica sempre este gostinho de quero mais... E agora, esta bela homenagem!

Ai, ai...

remosaraiva disse...

Sorry, mortais!

Tenho fotos com e livro autografado de - Manoel de Barros, mestre maior da lesma rodando as pás do moinho da minha inspiração com o suor de sua astúcia e persistência.

A propósito: bom poema, Leandro!


Abração!!

REMO.

Jeanete Ruaro disse...

Chegando aqui através do blog da Loba, encantei-me com o poema de Manoel Barros. Semente lançada, voltarei, para criar raizes.
Um abraço,

pedro pan disse...

, manoel sempre alucinando as pessoas... bom ver por aqui em teus jardins...

|abraços meus|

Ars Littera disse...

A Arte Independente o convida, não muito cordialmente, é verdade (mas quem se importa?), para uma visitinha -- quase, quase -- sem segundas intenções: http://www.arslittera.com/

Ars Littera

Clauky Saba disse...

"Ele joga de semear mentes."

que delícia de poema com cheiro de terra molhada, barro a ser eculpido.

solfirmino disse...

Muito bonito.