3.2.07

CHUVA(,) LEVE

inspirado nesse belo texto de
e para Marla de Queiroz

lava e leva, chuva
rega as flores que se entregam
traga cor e frescor
que a vida, feia e bela
é sempre uma nova tela
traz sempre uma nova teia
e só pra salgar a alegria
é que às vezes nos chateia
ou pra reforçar a poesia
pois há sempre uma nova página
é papel que seca lágrima
e se às vezes traz problema
(já te disse, leve chuva)
é pra embelezar o poema.

25 comentários:

Anônimo disse...

A chuva lava e leve, leva!
Depois vem um sol: girassol e flores todas desabrocham porque precisam dos dois...
Se um é flor e o outro jardim, se um é chuva e outro sol: haja poesia pra tantos elementos!Haja elementos pra tanta poesia!

(Que bom que a natureza nos permite tantas licenças poéticas!)

Nossos filhos sempre tão bonitos!rsrsrsr...

AMO!

vanessa_fmc disse...

Lindo, lindo, lindo!!!
O seu e o dela!!!
Beijos!!!

Sandra Regina de Souza disse...

Esse lavou a alma!! lindo... beijossss

Juliana Marchioretto disse...

banho de chuva lava a alma....

beijo

Clóvis disse...

Quanta beleza, meu caro.
Flores entregues as gotas de chuva, que nos trazem reflexões, palavras, versos soltos num dia cheio de pesos cotidianos.
E o verso nos liberta.
E a lágrima renova.
E poema é feito sonho, ou sorriso, ou silêncio, que nos move e nos direciona novamente para a luz...ou não, se preciso for.


Gostei bastaste da viagem!


Meu abraço.

moacircaetano disse...

Marla + Jardim = sorrisos floridos... ou flores sorridentes!
Beijo nos dois!

moacircaetano disse...

ah, e eu quero os livros!!!!!!!!!!!!!!
Me manda os dados!

mary disse...

Leveza de poema... Chuva boa de se molhar. ;)

Beijoss

diovvani mendonça disse...

"pois há sempre uma nova página
é papel que seca lágrima" feita poema, né? AbraçoDasMinas.

czarina disse...

chuva, leve
e agüe
e guarde
roupa

se luva, serve
lave

e o destino
que nos aguarde.

( comentei verso. tá?)

Lubi disse...

É sempre mansa a sensação que a chuva nos traz, inundando tudo com poesia visível.
Aqui em São Paulo chove uma chuva tanta. Cheiro de terra molhada no meu jardim e eu quero andar descalça.

*

Chegará nosso dia, sim. Ontem, foi ótimo. E eles falavam repetidamente das suas histórias, só crescendo em mim a vontade.

Beijo enorme!

Rayanne disse...

Chegar aqui...

E ver amor escrevendo amor
Um assim bordando o outro
Como a chuva que lava, leve
a tristeza, tão longe daqui,
e a saudade, amarrada do lado,
que a saudade não é breve, aqui.

***estrelas derramando***

Luzzsh disse...

Oi moço jardineiro,

Uau, lindo!...É...essa teia da vida, às vezes vai bem, às vezes emaranha; mas é tudo vida assim mesmo, e por isso, válido. Não?

Beijos...

ObservadOOr disse...

O que sofre é a distância/ o que sinto em meu peito/ e o que escrevo/ o que omito em prazer/ daquilo que sofro sem escrever. Abraços

da gaveta disse...

é pra embelezar e embeleza.
beijos.

Elenita disse...

Sorrindo.

Luzzsh disse...

Jardinzin,

Acabei de receber adivinha o quê? Seus livros! Tô louca pra ir pra casa, deitar na rede, e ler...
(agora dá pra abraçar/pegar/apalpar vc, mesmo eu estando em SP e vc no RJ! Rs...)

Beijos..........

paulo vigu disse...

Nova tela, nova teia, qualquer tema, qualquer página em chuva fina se refresca. Riodaqui leva abraço em águas limpas. Paulo Vigu

Aline disse...

Chuva
Sempre chuva
Bem vinda
Sempre bem
Mesmo
Quando é finda.


Beijo!

Mell*Krisztina disse...

chuva lava
leva e leve
o pranto dos poetas apaixonados.

Cuida das tuas flores contra a chuva forte, jardineiro.

E deixo-te meus
bjinhos melados

fabio jardim disse...

e é assim mesmo!
muito bonito, primo.

Márcia(clarinha) disse...

dueto perfeito!
carinho querido
beijossssssssss
*sim, recebi e babo neles todo o tempo,rsss,valeu!!

Naná Bia disse...

A chuva que nos molha,
O pranto dos anjos que sofrem de amor,
O papel que acalma o peito,
Mas não alivia a dor.

A lágrima que cai no papel
O embeleza de sentimentos infinitos
Fortes
Sensíveis
Sinceros
SEDUTORES!!!

Vc é demais!!!
Eu diria que isso, sim, é homem de verdade!

remosaraiva disse...

Bacana o diálogo entre poemas... Ficou ótimo esse! Gostei do ritmo e das quebradas!!


Abraço forte!!

REMO.

Rafaela Silva Santos disse...

Leandro não sabia que o Fábio é seu primo..que bacana!!Te descobri no blog dele, depois no de 7cabeças.Sua visão é bem curiosa sobre a chuva, a natureza e as demais expressões da natureza...Escrevi esses dias um poema chamando "Poemando" que falava tb flores.Dê uma olhada é biologapoetisa.zip.net.Beijuss