4.1.09

dúvidas, dúvidas

O bom poema
tem tema ou tempo?

Poeta novo,
o velho tema?
Ou use o bojo,
o faz de gema?

Poeta antigo,
terá o ouro
em tema ou forma?
Ou no antes novo?

E eu, que ovo:
teclado ou pena?

8 comentários:

Anderson Fonseca disse...

Será que o tema define um bom poema, é uma ótima questão, William Wordsworth disse que o bom poema tem um propósito, creio que o propósito coloca num tempo atual o poema, recorrer a velhas formas ou renová-las? os que vivem no velho, sem superação do velho, o que será? criação de sistemas dentro de sistemas arcaizantes? Bem, o tempo tambémdefine o poema, mas pq não pensar num poema temporal, há muitos que sonham com um poema extemporâneo, bem eu desejo um poema efêmero, este é mais atual, não tem sistema (que é um estrutura fixa), e dialoga com si mesmo. Caro Leandro, proponho uma questão ao seu poema: Deve o poema viver na história (ser efêmero) ou sobreviver a ela (ser atemporal)? E outra o que define um bom poema tema ou tempo ( aqui recorrencia ao que vc disse) mas... o tema é absoluto ou efemero ou o tempo necessita do tempo? Ah , meu caro, questões e questões., tantas que darão ou dor de cabeça (tem analgésico?) ou aflição (vou ao psicanalista). A vc abraços, excelente!

Anderson Fonseca disse...

quanto a frase : " o tempo necessita do tempo" quis dizer ou o tema necessita do tempo? - abs

Pavitra disse...


dúvidas...

são boas para nos perdemos
e nos acharmos
e ocaisonalmente nos perdemos de novo
afinal, nem tudo é tão apropriado assim...

nem as dúvidas! mas fazer o quê?
que dúvida! rs

leandro, sobre o seu presente do amigo oculto, eu pesquisei o significado do seu nome e descobri que ele significa "homem-leão", por isso, o home que ruge poemas... rs

beijos

Sabrina Sanfelice disse...

Bom poema tem alma própria
Num tempo que as vezes é tema
E temas que dependem do tempo

Bom poema tem corpo
Num tempo que deteriora o tema
E temas que passam com o tempo

Bom poema tem corpo e alma
É imortal como o tempo
E ilimitado como os temas

Temes o tema, o tempo ou o poema?

Flávia disse...

Pode ser teclado e pena? ;)

Um beijo, moço.

E uma flor.

Michelly Barros disse...

"a gente vai mas fica a obra" acho q é mais ou menos isso q o lenine diz numa música...

ao poeta não cabe o tempo, ele está de fora desafiando a lei das horas.

Dauri Batisti disse...

Poetas do tempo para redizer velhos temas. Poetas de agora para redizer o que outrora já foi dito. Poeta teclado mas com dedos iguais aos do passado. Sei lá.

Um abraço amigo.

Bruna Mitrano disse...

"E eu, que ovo", gostei disso, eu que tão ovo ainda.
Pena de teclado, com todos as ambiguidades (cadê o trema?!).
O fazer poético, metalinguagem: um velho tema sempre novo no poeta novo.
Belo poema!