4.2.09

indisfarce

Não me ilumina a idéia
de falar apenas
aos poucos doutos,

nem me inebria o fardo
do entendimento pleno
que se precisa raso.

Sigo cambaleante
o equilíbrio errante
do que é profundo e claro,

como o que farta aos grandes
e é a mim tão raro
- disse o aspirante.

16 comentários:

Lubi disse...

Ainda bem que passei.

Inspiração.

Saudade de você.
Beijo.

Sabrina Sanfelice disse...

Somos tão pequenos
Frente ao universo
Somos minúsculos
Olhando as palavras
Que nos veem por dentro
Poesia

Michelly Barros disse...

tão bonito... tão sábio...
gosto de ver as pessoas nesse lugar.

Gryner disse...

A melhor síntese de uma idéia que há muito tempo ronda o universo Jardiniano - parabéns, ficou demais!

Rayanne disse...

Ah. Sempre que venho aqui posso admirar a singularidade das novas flores. Tanta saudade, moço bonito.

**Estrelas**

Lubi disse...

Recebeu meu presente, Jardim?

Beijos!

André Lasak disse...

Pô, jardineiro!

Fazia tempo que eu não vinha regar meu cérebro com seus poemas.

Muito bons, como sempre!

Abração, sumido!

Paula Jardim disse...

Muito bom!
Faço minhas as palavras do Gryner.....

BJs

Poética disse...

Muito legal.
A sacada poética especial é associar o comentário `a rega.
Forte abraço,
Eduardo Tornaghi

Debora disse...

Vim ate aqui para conhecer o seu jardim... e agora estou apaixonado por esse jardim encantado!

regado por: Debora

Nadja disse...

Inteligentíssimo!



bjosss


:)

Sandra Regina de Souza disse...

Passando pra colher teus inspiradíssimos versos!! Ah... sempre brotam pétalas de rara beleza por aqui!!! Bj

Ramon Alcântara disse...

O aprendiz de feiticeiro!


Não podia deixar de fazer o link....

Desdisfarce
Está aí,
nós fechamos os olhos
mas continuamos vendo.
Está aí,
falamos de outros assuntos
mas continuamos dizendo.
Está aí,
nos desviamos
mas continuamos indo.
Está aí,
buscamos outras coisas
mas continuamos achando.
Está aí,
nós sentimos diferentes
mas continuamos com o mesmo sentimento.
Está aí,
nós pegamos objetos
mas continuamos nos tocando.
Está aí,
nós sorrimos
mas continuamos sem graça.
Está aí,
nós disfarçamos
mas continuamos demonstrando
tudo que não era para.

Ramon Alcântara




Está aí, em cima da mesa, dentro dos livros...

C. Martinez disse...

Que lindo! Que poeta! Que gosto! Brotou uma flor bem na minha tela, veja só.

Carol Marossi disse...

Seu estilo foi se transmutando nesses anos. Não saberia dizer de qual deles gosto mais, mas esse aqui tem toda uma altivez, sabia?

Beijos!

Marcio disse...

Sabes brincar com as palavras poeta, parabéns pelos versos tão híbridos e criativos.