15.3.09

Pueril

Uma criança descobriu algumas coisas
como, por exemplo, que independente
de todas as coisas que descobria,
todavia era criança. Percebeu,
no mesmo estalo, que à essa luz
até idade era fator ultrapassado.

Chegou a seu entendimento, ainda,
que as chateações eram como os tais vírus
que fora do corpo morrem-se em tempo pouco,
mas lá por dentro, ah, lá por dentro,
regozijam-se em continuar vivendo.

Resolveu ela, enfim e então, sair
por aí, os ais escrevendo.

6 comentários:

J.R. Lima disse...

Ora veja só, quanta descoberta para uma só criança!

Mi disse...

q bonito!

Lysia Leal disse...

olha... ninguém te segura!

Palavras de Osho disse...

Maravilhosa poesia!

Lubi disse...

Achei ótima.
=)
Simples e tocante.

Mariliza Silva disse...

Querido Blogueiro

Renovei nossa casa: o blog “tempodesaturno.blogspot.com”

e agora com meus amigos blogueiros linkados devidamente para que eu possa acompanhá-los com mais frequência!

Visite também meu novo blog “comentariosnotempo.blogspot.com” (anexo do Tempo de Saturno) com os Comentários em forma de poesia que recebi nos posts do Tempo.

Aguardo sua visita!

Sugestões são bem vindas!

Um grande abraço

Mariliza Silva