8.4.09

Exercício sobre as escolhas cotidianas

Vide obra


Prefiro a vida
à obra
minha,
e também à obra alheia.

Gosto mais da cor dos dias coloridos
do que das letras embevecidas
que degusto às horas mortas,
como um ressuscitador
utópico e obsessivo
do que se passa nos agoras.

É essa minha usura.

(E contabilizar o tempo
é como contar estrelas
ou desenhar o vento, sei,
à maneira dos ingênuos.)

Sendo assim, escolho a vivência
antes da leitura, que escolho
antes da escrita. Mas, ante a isso tudo,
só mesmo a literatura.


---------------------
(da série Exercícios)

11 comentários:

Robisson Sete disse...

gde sacada jardim

a vida
pros escritores a palavra

sempre

escritor cai os dentes
escorrega capenga e cai


mas
suas palavras pra sempre
coceira nas pernas

me vi aí
bicho

abra;os

Beto Mathos disse...

Um belo paradoxo, amigo.
Sentindo falta de sua visita no meu espaço.
Abraço!

Gryner disse...

Humm... Será que a conversa de sábado passado teve algo a ver com esse poema?

Michelly Barros disse...

"degusto às horas mortas,
como um ressuscitador
utópico e obsessivo
do que se passa nos agoras"

qdo vi o título desse poema sabia que tinha que lê-lo por inteiro... e vi meus dias escrito por vc!
se eu gostei? muito!

GRAÇA GRAÚNA disse...

"escolho a vivência
antes da leitura, que escolho
antes da escrita. Mas, ante a isso tudo,
só mesmo a literatura."

Poetamigo:gratissima pelo comentario ao meu artigo sobre literatura indígena. Grata também por visitar meu humilde blog e parabens por sua poesia cheia de vida. Gostei dos seus versos. Paz em Ñanderu, Grauninha

Lubi disse...

Leandro,
seu comentário me envaideceu.
hahaha.

a literatura é.

Um beijo.

C. Martinez disse...

lindo, porque foi de dentro.

Rayanne disse...

Amar a vida
Além das escrituras
Escrever a vida
Além das literaturas
Aturar a escrita
Como a vida atura.

***Estrelas, seu bonito!***

J.F. de Souza disse...

Oraora... Parabéns, meu caro! Que beleza de escrito! =)

1[]!

Carol Marossi disse...

Acho que escrever é como acordar-se pra dentro, Lê! E são tantas as bombas de gás nesse mundo...
Estarei no Rio em junho. Aviso. Final de julho talvez me mude pra Europa. Definitivamente.

Beijos com saudade! Sempre acompanhando (embora quase nunca comentando),
Carol.

Ramon de Alencar disse...

...
-
``É essa minha usura.

(E contabilizar o tempo
é como contar estrelas
ou desenhar o vento, sei,
à maneira dos ingênuos.)``

Isso foi primoroso...