20.5.06

DOIS OLHOS ARREGALADOS

.
I.
Estou ficando seco.
E frio.
Como o vento, velho tormento.
Estou chegando ao raso, quase vazio.
Meus sentimentos vão como uma cascata de dominó.
Que fazer se já derrubaram a primeira casa?
Minhas ilusões eram como balões de gás na mão de uma criança.
Voaram.
'Prum' céu azul e nublado,
até o infinito dos meus olhos.

II.
Azedo, busco cerveja e café.
Amargos.
Há marcas difíceis de apagar.
E ao mesmo tempo difíceis de se ver.
Os subterfúgios me dão sobrevida.
E estranham meu gosto gasto.
Até que mesmo o tempo acalma, demonstra, delonga.
O inverno se faz ano.
E só às manhãs lhes cabe o outono.
Estou parando em duas estações.
E do trem só se vê fumaça.

15 comentários:

Ellemos disse...

Vi as ilusões subindo, perdendo-se no azul nublado... Senti o longo e rigoroso inverno...

Mas, depois de todo o necessário tempo, a fumaça se dissipa... E pode-se encher outros balões...

Leandro, muito obrigada por suas constantes visitas e publicações! Me fazem um bem...!

Super beijo.

fabio jardim disse...

"O inverno se faz ano.": que bela metáfora!

Ivã Coelho disse...

Mas que seja, então, a fumaça, esperança de uma partida, para outras plagas, paragens mais quentes e úmidas.

Abçs amigos e agradecidos.

pedro pan disse...

, poema para ler e reler. várias imagens vão surgindo, a cada momento, a cada leitura.
|abraços meus|

Nirton Venancio disse...

Leandro,
que belo achado também é o seu blog! O bom dessa teia internética é isso: encontrar gente boa, bons textos. Gostei do jeito da poesia, de como ela flutua na leitura e chega dentro de nós!
E o seu template é o mesmo de um outro blog que tenho, de cinema, www.olharpanoramico.blogspot.com
Estarei sempre por aqui.
Grande abraço!

Aerodrama disse...

Belo!!!
Pergunto-me, muitas vezes, que se o homem fosse capaz de sentir com tamanha naturalidade a tristeza, assim como o faz com a alegria, se está(a tristeza) seria tão tormenta assim...

Belo, como foi dito,um escrito criador de imagens!!

Um abraço,
Aerodrama.

Rayanne disse...

Assim fumaça.
Seguindo ausentes, dissolvidos e envolvidos no cotidiano tão repleto de urgências inúteis.
Fumaça, impalpáveis, indeléveis,
como se fôssemos mesmo senhores
da vida que segue, indiferente.

Volte sempre que teus passos te chamarem, serás bem vindo. Estrelas.

Mary disse...

Descanse um pouco seus olhos...
E expire a fumaça...


Beijos! :)

Clarice disse...

Para mim, as melhores poesias são as musicadas. A música em si, mesmo sem palavras cantadas, encerra poesia. Te escutei e gostei muito e de tua poesia. É difícil comentar poesia, ou nos toca ou não. Vou torcer que vocês vençam no dia 25.
carinhos

Vanessa disse...

Lenadro,
Linda a poesia! Mas não se deixe cegar pela fumaça! Existe um mundo real e bonito por trás dela.
Pensamento mais curto
sobre o passado e as desilusões:
"Choro por deixar para trás o todo que sonhei aos poucos
Mas é melhor viver para frente a minha parte, inteira"
Beijo grande!

Nessa disse...

"Meus sentimentos vão como uma cascata de dominó.
Que fazer se já derrubaram a primeira casa?"

Quem sabe apreciar o desenho que ficou no chão? Deitados talvez eles, os dominós, façam mais sentido do que em pé...

Bjokas
(Gostei das mudanças que fez no poema...)

Larissa Marques disse...

Agrada-me a sinestesia de seu texto, e também as metomínias, quase metáforas que usou na construção literária.
Tem conteúdo, gosto disso!
Beijos!

Aline disse...

"Minhas ilusões eram como balões de gás na mão de uma criança.
Voaram.
'Prum' céu azul e nublado,
até o infinito dos meus olhos."

Menino... Isso é lindo.
Me emocionei.

Um Beijo.

Anônimo disse...

Very best site. Keep working. Will return in the near future.
»

Anônimo disse...

Very pretty design! Keep up the good work. Thanks.
»