4.6.06

LIBERTAÇÃO

.
Minha última libertação
foi aprender que o mundo é mais feio,
que não está tudo às minhas mãos,
que há fins prá onde não se há meios.

Hoje estou curado
da doce doença da ilusão,
não há mais o místico, o sagrado,
e minha paz se faz resignação.

E é daqui que sigo,
de ar um tanto cansado,
mas sorrindo aos perigos.
Sorrindo ou chorando, é tudo fardo.

--------------------------------------------
porque ficar lendo Cecília Meireles torna
a rima irrestível,
ainda mais numa hora assim: morna.
E que me entorna num desnível.

17 comentários:

vanessa disse...

Menino bonito
Onde quer que siga
Com essa solidão
E por mais que diga
Que é libertação
Acha que o mundo é feio
E que de ilusões é feito

Sorri aos perigos
E se diz leve
Por não se deixar envolver
Mas no final admite
Que sorrindo ou chorando
É tudo fardo

Mais bonito ficará
No dia em que largar
O peso da frustração

E então se lembrará
Do gosto do encanto
Da graça do sorriso
Do apoio companheiro
Do encontro no olhar
Do conforto de um abraço
E não mais irá chorar

Não quero te enganar
O pra sempre acabará
Mas de lembranças doces
Se orgulhará
Simplesmente
Porque viveu

A czarina das quinquilharias disse...

gosto especialmente do parágrafo explicativo ;)grande cecília.
mas prefiro a ilusão à resignação, acho...

Nanna disse...

A realidade é a melhor opção, por pior que ela seja. É vida. É nossa.

Beijinhos pra vc!
:)

Ellemos disse...

Nada como sofrer por se manter os olhos bem abertos... O que é uma alegria!

Pôxa... Parece que tem alguém que divide comigo essa falta sem fim...

Um toque no seu coração!

pedro pan disse...

, siga sorrindo e/ou chorando.
|abraços meus|

Aline disse...

Livre... Alma sempre livre.

:)

Larissa Marques disse...

Amo de paixão Cecília, seu texto traz a suavidade dela. Beijos!

Mary disse...

Bela liberdade.

Consciente do mundo e dos males...

E mesmo, cansados, seguimos...

Bjus! :)

Aerodrama disse...

A realidade não passa de uma ilusão, nada está fora de nossa cabeça, a necessidade e a funcionalidade do dinheiro, os amores, a solidão, tudo é nosso, e ao mesmo tempo não nos pertence... viver é uma ilusão com começo, meio e fim, como toda e qualquer ilusão há de ser.

Muito belo o teu escrito!!! Senti-me angustiado!!!

Um grande abraço,
Aerodrama.

camila disse...

belíssimo jardim. as flores podem não ter cheiro, palavras que são, mas encantam pela beleza.

Rayanne disse...

Porque algumas palavras
colam assim, vestindo
toda a matéria que,
estranha aos fardos,
permanece impassivel dentro de mim.

Estrelas.

Edilson Pantoja disse...

Gostei muito! Sugiro uma visita ao albergue. Talvez o atual (18) capítulo do "Homem do Farol" tenha proximidade com o que trata este poema.
Abraços de Belém!

da gaveta disse...

o melhor remédio pra esse mundo feio é a rima.

Leandro disse...

Até a palavra mais banal quando rimada ganha um significado especial.

Leandro disse...

Até a palavra mais banal quando rimada ganha um significado especial.

as_estrelas disse...

nossa...
que lindo, sem palavras...

Lia Noronha disse...

Às vezes o mundo fica sem cor...e o colorimos com bonitas palavras...e vc faz isso muito bem!
Bom fim de semana e abraços carinhosos.