25.6.06

(... poema à la lagarta*...)

Tudo bem, tudo bem,
arrebata-me, canção.
Me arrasta pelos ares que respiro.
Porque pra peito de poeta,
todo remédio é placebo sabido.
Estou comprimido.

Tudo sem, tudo sem,
sem problema, faz teu jeito.
Tudo sempre faz poema, e eu me viro.
Porque quem sente pra canção,
faz tempo já cansou do meio são.
Estou preventivo.

Tudo zen, tudo zen,
são meus instantes instantâneos.
Centelhas e calmantes que me partem de suspiros.
Porque pra quem é arte momentânea,
a perda de sentidos funda o branco.
Já estou mais brando...

------------------------------
* Ou: "Poeminha Terminal",
que se metamorfoseará
em borboletra
de boa música
em breve

16 comentários:

Clarice disse...

Nem precisava chegar ao final para perceber o som da música acompanhando a canção. Já te disse, acho eu, que para mim, a melhor poesia é gerada pelos que as compõem com notas musicais.
Carinho meu

Nanna disse...

Obaaaaaaaa! Quero ouvir! Quero ouvir!!

Beijos!
:))

pedro pan disse...

, tudo bem.inda bem. em teus versos instantâneos, habita a melodia. todo dia. todo dia.

|abraços meus|

Ellemos disse...

Que beleza! Já até posso ouvir sua voz cantando este poema!

Li o artigo da Larissa. Você merece!

Super beijo!

Múcio Góes disse...

lagartas à espreita,
que deste bel-poema,
trans-bordem coloridas borboletas.


Belo.

[]´s

Rayanne disse...

Se lagarta se transverte
Encosto o ouvido ao chão
Esperando a primavera
Soa a primeira borboleta.

Estrelas.

A czarina das quinquilharias disse...

ah, se esta é a lagarta, como não deverá ser a borboleta?
baixando suas músicas lá no trama...hei de querer autógrafo via correio ;)

vanessa disse...

Estou curiosa para ouvir o som da borboleta... Tenho certeza de que a melodia tornará a poesia ainda mais sentida... Beijo grande!!!

Mary disse...

Será uma bela borboleta! ;)

Bjus.

No Sound TM disse...

como se escolhesse os remédios pelos seus efeitos colaterais. comigo é quase sempre assim.

Lubi disse...

...
Por que, ás vezes, as palavras não são necessárias: estão dentro.
Beijos!

Aline disse...

E olha que essa borboleta voa lonnnnnnnnnnnnnnge :**

Cristiano Contreiras disse...

Devora tudo! isso é sentir.

*Ana Clara* disse...

Será?
Muito belo trabalho por aqui.
Obrigada pela visita à Casa de Chá!

Valéria disse...

é...soa e ressoa...canta...
um beijo

Laura disse...

Agora borboleta,mas antes nem sabia que seria. Lagarta,borboleta,mulher; cuido de um Jardim...Zen...rs!
De certo, nossa natureza...veja lá!