17.10.07

A Palavra e O Poema

A palavra
é a lavra acrescentada
da maturidade
da pá.

A palavra,
em seu estado de constante adubo,
também é larva
de bactéria e fermento.

Já o poema
é rara flor erguida
de pensamento, lida e acaso,
e entre tantas colhida.

10 comentários:

dän disse...

nossa... que perfeito.
... a lavra acrescentada da maturidade da pá.

muitoooooooo bom, genial...rs.

lembrei de algo... (sobre os poemas)... um palíndromo q adoro:

"ame a ema, ame o poema"


adoro palindromos.

Camila Lemos Barata disse...

O poêma fecunda na alma
O que já em semente havia...

Em encanto,Jardins...Seus jardins...

vanessa_fmc disse...

Nossa! Que saudade de passar por aqui! Estava meio sumida, né?! Como é bom colher esses poemas que você escreve com ou sem pá...rs... Estou criando um blog pra mim! Passe lá depois! Beijo grande, Vanessa.

Erika disse...

palavras que florescem...
palavras que ferem...
palavras que curam...

há tantas delas... como saber qual usar?

lindo seu poema.

beijo

paulo vigu disse...

E o poeta tem uma lavoura de versos plantada no pé da serra. Riodaqui. Abraço no dona da casa.

Isaias Zuza Jr disse...

Excelentes poemas, parabéns. Vou colocar um link em meu blog. Grande abraço.

Múcio L Góes disse...

a pá e o pó,
a poesia é,
e só.


massa, meu bom Jardan!

Sandra Regina de Souza disse...

Vim colher flores neste Jardim! Inspiração foi podada... ainda espera brotar... beijos

Paula Jardim disse...

Muito lindo!!!
Melhor ainda é vc recitando aqui em casa.....hehehehehe

bjs enormes

Fabiana disse...

Gosto das suas prosas no Caramelinhos, mas estou gostando mais ainda da sua poesia! Não canso de vir visitar o seu jardim. Seu livro já está na lista da próxima visita à Livraria. Abraços.