15.4.08

Todas as vozes cantam (7Letras, 2008)


Todas as vozes cantam

Poesia




“Arrogando-se ‘meio esponja meio pilha alcalina’, Leandro Jardim finge descarrilar construções sutis, centímetros, temporadas, azuis de todas as graças e minérios quando, na verdade, os recolhe, os coleta sem a busca promotora – quase obsessão destes nossos tempos e geração – pelo truque do transfigurar, essa habilidade tão cara aos ansiosos. Leandro arquiteta atmosferas, cenários e faz pensar no que deveria ser óbvio e, no entanto, nunca é. Difícil resumir uma coleção que não se esconda do que é mais exuberante; para dialogar com o Rio de Janeiro, talvez a alma deste país, é preciso fôlego. Alegria e beleza afogam sem dó, Leandro sabe disso; os afobados jamais compreenderão isso. Seus poemas se formam num querer musicalidade, mas não se prendem a isso (ou somente a isso); querem leveza, conseguem leveza maior. Gosto desse trajeto, gosto bastante. ”
Paulo Scott (escritor)


“O livro Todas as vozes cantam é um belo arranjo musical, porque tantas melodias se encontram que encanta os ouvidos e os olhos, (...) quem se arriscar não estará se arriscando estará acertando na escolha.”
Anderson Fonseca (escritor e editor)



Comprar:
>  Editora 7Letras
>  Direto do autor: lsjardim@hotmail.com

Texto da orelha do livro:
"Você reparou no título deste livro? Ele é preciso em diversos sentidos. Entre outras coisas, fala da capacidade que todos têm de se tocar por poesia. E essa é justamente uma das principais tônicas do poeta Leandro Jardim: a poesia não é só para poetas e sim para qualquer um que tenha em si ao menos uma fagulha de sentimento.
Muitas de suas poesias, como 'Riscos' e 'Joaninhas de Copacabana' são uma refrescante oposição ao excesso de hermetismo e referências, tão em voga ultimamente.
Leandro Jardim alinhava versos com leveza e desenvoltura. Tudo tilinta, tudo é musical: as palavras, os jogos de idéias, o ritmo dos versos, a cadência das rimas. 'Desenho 3x4' chega a parecer uma melodia. 'Decisão' canta em versos curtos os extensos sentidos de algumas palavras.
Além disso, nesse mundo marcado pela Internet, há muitas vozes cantando. Entretanto, é fácil perceber que, embora muito se veicule, são poucos os que não se limitam a bater sempre na mesma tecla. Leandro Jardim é um poeta que estréia com muito a dizer. A inquietação é flagrante em poemas como 'Trilogia: palavra, poeta, poesia' e 'Algo de belo a dizer'.
Enfim, esse livro é o coro ecoante de suas tantas vozes. Umedeça o dedo na língua, abra os lábios do livro. Elas estão esperando. Vamos, a orelha já está aberta. Já não há remédio senão escutar.
"
(´por Nathalie Lourenço escreve no blog Sabedoria de Improviso)

12 comentários:

Remo Saraiva disse...

Esplêndido!!
Dois maravilhosos poetas!!

Abs,
REMO.

Gringo Pantalassa disse...

Todas as vozes cantam é de inéditas?

Boa sorte e parabéns,
Gringo.

moacircaetano disse...

eu quero!!!!!!!!!!!
quando?

Carol Barcellos disse...

Que lindo!!! Dá pra pedir pela internet tb???

Parabéns, Leandro, e que venham mais!!! ;o)

Beijinhos doces cristalizados!!! :o*

Lucas Nicolato disse...

meu amigo,

parabéns!
é muito emocionante ver o livro que conheci numa mesa de bar numa sexta-feira de canções não tão distante, partir para ganhar o mundo!
agora só falta atualizar a seção "meus livrinhos" rsrsrsrs

PS: não consigo ver muito seu blog pq a rede aqui no trabalho dá uma mensagem tipo "site obsceno: bloqueado". por sorte hoje (sabe-se lá por que) parece que o blog está mais decente :)
É muito bom quando consigo dar uma passadinha aqui!
Me adiciona na lista de email poético?

grande abraço,
lucas

Sandra Regina de Souza disse...

As vozes ecoam por aqui... ansiosa por ouvir cada verso tocar! No teu canto, encanto!

Ellemos disse...

No teu aniversário, o presente é nosso?

Estou tão orgulhosa de você!

Beijos!

A czarina das quinquilharias disse...

grande sorte no lançamento rapaz!
(o que faremos amanhã à noite, pinky? tentar dominar o mundo!! )
:D

bjão

.mãos coloridas disse...

jardim!
a claudinha me contou do livro, me mostrou a orelha dela (tua?) e eu fico muito muito feliz pela conquista, seu poeta. :)

continue cantando.
beijo e um abraço apertado de chegar no rio. aproveite o seu dia amanha.

Luiz com Z disse...

Realmente não dá pra saber qual é o melhor. Enfim, este leitor recente se embrenhará nesse criadouro de dengue no quintal da Rede Globo em nome da poesia de primeiríssima qualidade. Até o lançamento!

Da Gaveta disse...

Boa sorte no lançamento!!!

E eu nem sabia que a claudinha tinha escrito sua orelha. só vi agora. muito boa!! dá um gostinho do que deve ter dentro do livro que, com certeza, deve estar ótimo!

Beijos.

Casulo Temporário disse...

Parabéns pelo livro! Fico feliz que tenha saído, estava na hora! Espero poder lê-lo em breve. Podemos fazer uma troca poética, entrarei em contato por email para combinarmos detalhes. Grande abraço,
Ana Cecília