10.9.08

Museu

Será que minha idéia cabe
em um tomate amassado
na minha testa?

Não será, este,
outro prazer
que a arte presta?

11 comentários:

Dauri Batisti disse...

Um tomate amassado na testa é uma imagem e tanto. Tanto faz rir quanto pensar. Me fez pensar em violência.

Aline Aimée disse...

a sua idéia também cabe numa rosa vermelha atirada ao palco.

Marcia Barbieri disse...

Não sei,mas acho que são necessárias plantações e plantações para saciar a arte.

Beijos

Mi disse...

adoro tomates! um desperdício... mas tudo pela arte!

Duda disse...

hahaha
muito bom o pequeno poema!
às vezes a gente fica em dúvida quanto ao que é melhor: uma salva de palmas ou um tomate bem redondo e vermelho.

abraços!

Lucas Nicolato disse...

gostei deste!
me lembrou as aulas do ferreira gullar no pop - os limites da expressão. ele citou um cara que dizia que se um crítico fosse a um museu e algum pintor egquichasse a bisnaga de tinta em seu nariz (do critico), o crítico diria que aquilo é uma obra de arte genial!

Talvez mais importante do que o tomate amassado na sua testa, seja tacar tomates no público :D

rsrsrsrs

saudade de você!

abraço,
lucas

Yara disse...

A idéia descabida
que a arte empresta:
devorar!
O tomate amassado presta?

Felipe Cavalcanti disse...

Existe um prazer raro das idéias que não conseguem expressão, daquilo que nunca será dito, não importa o que suceda, só existe e significa por dentro. Adoro seu blog, me inspira achar minha própria linguagem. finalmente voltei a escrever peomas (extra)cotidianamente. Dá uma olhada nos dois últimos. Abraços.

Felipe Cavalcanti disse...

peomas? :)

A czarina das quinquilharias disse...

hahaha. deveras.
fazia tempo que eu não passava aqui.
beijolas.

Raisa Inocencio disse...

será que é a mente que manda o tomate pra testa ou será que é o próprio impulso do braço que a manda?

é o pensamento ou a ação que faz o tomate na testa?

sim sim a arte.
viva artaud!
:-)