26.8.09

Confissão de um poeta errante

Eu não pertenço bem
aos poetas de ruas
onde com eles circulei;

Não sou do tipo
que vai ao CEP
e experimenta ao vivo;

Nem sou de círculos
acadêmicos, se estudo
é pra não ser estúpido;

Mas entre eles,
confesso, oscilo
pra ser ouvido.

16 comentários:

Larissa Marques disse...

mais que normal essa sensação de solodão acompanhada, meu nobre!

Dauri Batisti disse...

Oscilar é um movimento, um equilíbrio de quem dança poesia.

Um abraço.

Pâmela Rodrigues disse...

Olá Leandro, há tempos atrás quando eu tinha um blog antigo, costumava visitar você.
Encerrei o blog e há alguns meses iniciei um novo.
Saudades do mundo blogueiro.
Reencontrei seu espaço e vejo que sua poesia segue firme, bela e tocante.
Beijo

Lubi disse...

me identifiquei.
mas de uma forma mais ampla, de vida. não só no movimento poético.

um beijo!

Gryner disse...

Eu não pertenço bem
Não sou do tipo
Nem sou de círculos
confesso, oscilo

Me identifiquei

V_ Leal disse...

poeta marginal?!
lembra nicolas behr, conhece? um convite então.

Sandra Regina de Souza disse...

eta, poeta
que, até quando se diz errante,
acerta!!
Deixo sempre meus confetes pros teus versos, moço!
bjo

Renata de Aragão Lopes disse...

Ei, Leandro!

Vim agradecer o seu comentário
tão gentil lá no doce de lira!
Espero que retorne, mesmo,
com mais assiduidade! : )

Seu blog já figura
entre minhas "delícias alheias".
Mas, por falta de tempo,
também andei meio sumida!

E que delícia, ao retornar aqui,
deparar-me com a confissão
de um poeta errante...
Curioso!
Há muito tempo,
faz mais de 15 anos,
escrevi um poema cujo título era
"Poesia errante".
Farei umas buscas
para reencontrá-lo!

A questão de "ser ouvido"
é algo que vem, também,
insistindo em meus pensamentos.
Apenas podemos nos dizer poetas
quando lidos?

Um beijão.

Ramon de Alencar disse...

...
-mas um jardim precisa estar parado, para que os outros o visitem. E sim, mesmo parado, tuas palavras andam...

Rayanne disse...

Entre o vício e o ócio
Oscilo
Prá não caber limite...

**Estrelas**

[ rod ] ® disse...

A poesia bruta e sua graça... ser ouvido ou ser ouvinte.

Abs meu caro,





dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

anareis disse...

Querida(o) nova(o) amiga(o),estou precisanda muito de novos amigos pra me auxiliarem no meu projeto. Estou criando uma minibiblioteca comunitária e outras atividades pra crianças e adolescentes na minha comunidade carente aqui na minha comunidade carente no Rio de Janeiro,eu sózinha não conseguirei,mas com a ajuda dos amigos sim. Já comprei 120 livros e também ganhei livros até de portugal dos meus amigos dos meus blogs que eu tenho no google: Eulucinha.blogspot.com ,se quiser pode visitar meus blogs do google,ficarei muito contente. A campanha de doações que estou fazendo pode doar qualquer quantia no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3 ou pode doar livros ou pode doar máquina de costura ou pode doar retalhos,ou pode dor computador usado. Qualquer tipo de doação será bemvinda é só mandar-me um email para: asilvareis10@gmail.com , eu darei o endereço de remessa. As doações em dinheiro serão destinadas a compra de livros,material de construção,estantes,mesas,cadeiras,alimentos,etc. Se voce puder arrecadar doações para doar ao meu projeto serei eternamente grata. Muito obrigado pela sua atenção.

Paulo Viggu disse...

Com estudo ou não, é ótimo ser poeta errante nas cidades virtuais. Cantar isso é melhor ainda. Abraço - irmão - Paulo Viggu

Ana disse...

Permita-me adicioná-lo no meu blog que é um refúgio da minha alma, mas que está longe de ter uma qualidade poética assim... Adorei. Abraço.

Lisa Alves disse...

sua poesia é linda e direta
ela voa nos espaços de telha, de roda e de gente vivente.

- eeeeeii disse...

como é bom esse jardim!