30.10.09

Da vingança

a vingança
cansa ainda mais
a vítima
da primeira instância

a escraviza
à justiça
pelas próprias mãos
de uma criança

enquanto lhe aniquila
a liberdade
de ser
como na infância

13 comentários:

Marcelo Mayer disse...

ingenuidade poética

Dauri Batisti disse...

como na infancia... o dia de hoje será tão bonito. O de amanhã também.

Abraço

Renata de Aragão Lopes disse...

"a vingança
cansa ainda mais
a vítima
da primeira instância"

Adorei essa estrofe:
um misto de poesia e Direito!

Beijo,
doce de lira

Michelly Barros disse...

as crianças são tão puras e tão perversas ao mesmo tempo... e nós, escravos da nossa criança.

José Rosa (ZeRo S/A) disse...

Melancólico...

Lisa Alves disse...

é estranho pensar em vingança, creio que vivemos vingando de nós mesmos. beijos

Muryel De Zoppa disse...

to de passagem (e sem acento aqui) pra passar retina nos desvarios. perai que ja-ja volto pra divagar apreensoes...

Simplesmnete Outono disse...

Procuro por alguma leitura. Não sei exatamente o que virá pela frente. Talvez algo que remeta ao amor, filhos, decepções, amigos, dores, sorrisos, verdades, enfim quero linhas que me prendam.
Ainda bem que existem páginas como a sua que nos levam até o final sem sequer sentirmos. O melhor é ainda permanecer na ânsia de querer ler mais e mais. Obrigada pelo tamanho bem estar causado e lindamente sentido ao te ler.
Minhas folhas secas na certeza de que voltarei mais vezes. Linkarei para que assim fique mais fácil o meu retorno.

Simplesmente Outono disse...

Também adorei conhecer o seu.
Fique certo que voltarei sempre.
Com carinho.
Simplesmente Outono.

J.F. de Souza disse...

A Justiça não gosta muito de pratos frios...

Simplesmente Outono disse...

Consegui postar hoje de madrugada em meio à correria das provas. Confesso que não gosto quando sou praticamente obrigada a me afastar do blog, porém não há como fugir neste momento. Motivo: além das provas na faculdade existem alguns probleminhas particulares. Espero resolvê-los o quanto antes e da melhor maneira possível. Prometo que tentarei arrumar um jeitinho de postar com a mesma freqüência já que não consigo ficar longe das letras. Algumas pessoas possuem meu e-mail podendo ficar totalmente à vontade em realizar contato. Tentarei respondê-los tão logo os receba.
Com carinho e o devido respeito deste Outono.

Leandro Malósi Dóro disse...

Valeu e obrigado por me dar a oportunidade de conhecer sua poesia. Versemos e conversemos.
Há braços

Thalita Souza disse...

Liberdade ,nostalgia,momentos .
Perfeito.beijos.