21.7.06

DEITADO NA REDE

(ou "Ah, quem me dera... há quanto tempo não passo um momento assim...")


Entre os verdes, o azul.
Por aqui passam brisas de deuses
e ventos do sul.

O momento é presente no tempo.
E o minuto de paz faz-se intenso.

Devagar, devagar, divagar...

Divagar o vento.
Divagar o tempo.
Devagar o momento.

^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^
Resgatei essa do baú, é do tempo que ninguém lia meus escritos, fiquei curioso...

^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^
enquanto isso, aqui na Liga das Cabeças...

28 comentários:

Keila Sgobi disse...

o peito ofegante anseia por momentos de tranquilidade

enquanto lia, um falatório imenso na empresa

fui apagando, apagando...
fui pra looooooonge...

mas o momento
acabou!

são fugazes demais!


bom final de semana!

beijo

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Oi!
Gostei.

ariane disse...

Só pra fazer uma invejinha da boa, me mudei a pouco para um sitiozinho, em uma pequenina cidade, bem próxima da "correria da cidade", mas longe o suficiente para minutos de paz intensa.
rede na varanda,
fruta comida no pé,
acordar com os passarinhos,
verde por todo lado...
ainda estou extasiada!!!!
estou tentando diminuir minha velocidade , divagar no tempo e mergulhar no fluxo da vida.
obrigada pela visita, e pelo impulso :)
beijos voadores

Múcio Góes disse...

de vagar
em vagar
de tempo
em vento
vive-se...


Senti saudades de mim, agora.

[]´s

Luzzsh disse...

Oi, Leandro
Gostei muito daqui. Voltarei de quando em vez. Beijo.

Valéria disse...

resgate o momento rede do baú também... a poesia ficou linda... rs
e não pude deixar de notar! meninos!!! já batizou o blog de liga!!!! rss lembra do Capitão Planeta??? é vc??? rs
beijo

clarice disse...

de tanto divagar
pensei que o tempo parava
devagar fui me buscar
lá atrás...

sorrisos

clarice disse...

baú de flores guardadas querendo ser consumidas no jardim

Loba disse...

Ah eu tb ficaria! especialmente com um poema tão bem construído!
Estes versos finais, além de lindos, provocam vôos na gente...rs... e dá vontade de sair poetando!
Li os posts anteriores. Belíssimo o Cambalhota! Muito, demais!
Beijos menino

Lia Noronha disse...

Leandro: vc deveria sempre abrir esse maravilhoso baú...e nos presentear com essas pérolas,amei!
Linkei vc no meu Cotidiano,ok?
Abraços mil.

Ellemos disse...

Ninguém lia porque não sabia...

Sim, ainda bem que esses momentos virtuais esquentaram... Que continue assim e bem devagar...

Beijinhos...

Mary disse...

Ah, como é bom uma rede, o infinito e o nada acariciando o rosto... :)

Beijos!

Joana Corrêa disse...

quero que o vento leve-me pro sul.
meu sonho.
paz.

beijos etílicos.

Melson Ramone disse...

Deêm-me o azul.
O azul cansado.
O azul vibrante.
O azul e o delírio das horas.

Deêm-me o azul dos olhos de quem morre e de quem revive
... e daquele que dorme sorrindo.

O azul dos cavalos alados e do rosto doanjo
... e de quem chora sobre o mármore.

Deêm-me o azul que tinge os lábios do morto e dança sobre suas pálpebras.

O azul da escuridão mais profunda
... e dos sonhos do Céu.

Os antigos são os melhores, assim como calças jeans; Legal o blog; antes apenas comentei meus escritos. Gostei dos seus tb!!!
Bruno Zanchetta.

Melson Ramone disse...

Cuidas muito bem do seu jardim; deixou um comentário lá no blog, uma honra!
Como comentei lá, este lugar parece ser mesmo um jardim e cheio de pessoas queridas que são regadas com seus escritos e os comentários das flores que comentam por aqui; paz é o que a gente sente aqui!!!
Abraço.
Bruno Zanchetta.

Melson Ramone disse...

Fala cara, tem uma moça que é do Rj tb, canta muito; penso que vc irá gostar do blog!
O blog dela tb transmite muita paz!
Ela é vocalista, escritora e lingüista; Patricia Coelho é o nome dela.

Abraço grande.

Cristiano Contreiras disse...

O momento perdura diante do tempo que insiste em se esvair...

abraços

Márcia(clarinha) disse...

Sempre é tempo de devagar embalar rede e divagar.
Hum, resgate mais do baú, tem não? rss
Lindo findi,
beijosssssssssss

da gaveta disse...

uhm, eu também tenho uma sobre divagar devagar...
(no meu blog não dá pra linkar pros posts, mas dá um ctrl+F e procura lá por "divagar")

spersivo disse...

Leandro,
Grato pela visita. Também gostei muito de sua instigante e intrigante poesia. S.

Ivã Coelho disse...

Devagar agente vai divagando que o mundo é mesmo da poesia e com ela se completa, se revela.

Como sempre, bom trabalho.

Nanna disse...

Fotografia-de-época!

Beijinhos...
:)

朝川栄一 [Asakawa Eiichi] disse...

tem um ritmo balouçado mesmo... te achei e vou te lendo por aqui. bom, to gostando!

Mary Jane disse...

E divagar o momento, n? :-(
É o q eu mais gosto de fazer... qndo o vento e o tempo viram devagar. ;-)
Gostei bastante, Menino.
E obrigada pela sua visita. Lhe espero mais vezes, posso? ;-)
Beijos

vanessa disse...

A vagar atenta
Entre o verde da tela
No branco escrito
Seus momentos de alento...

remosaraiva disse...

Bela imagem bucólica, Jardim!

É do jardim do seu eu mesmo??


Abração!

REMO.

rubo jünge medina disse...

Leandro, talvez não lessem porque não conhecessem. Um poema como essse, na sua simplicidade e densidade conjuntas, não lê quem não teve o contato com a primeira linha.
Abraços.

Branca Amorim disse...

Nossa, Le :) Fiquei tão feliz de vc ter colocado esse poema aqui...

É realmente lindo e cheio de magia. Nos faz parar no tempo em estado de contemplação e paz.

Já tinha gostado quando vc fez, mas agora eu AMEI.

Aquela hora vc tava inspirado mesmo! hehehe saudades daquele dia na rede

bjussss